frase mondrian arte

Esclarecimento definitivo sobre:

piscina

Nadar depois de comer

O calor está chegando, junto com as férias e com aquela vontade infinita de comer bobeiras e achar uma água gelada para se jogar. O foco é aproveitar ao máximo, sem perder nem um segundo de diversão. Mas aquela vozinha de vó gravada no fundo da consciência insiste em perturbar, não é mesmo? Pois então, vamos enfrentá-la de uma vez por todas para acabar com qualquer dúvida sobre a seguinte questão:

Afinal, pode ou não pode entrar na piscina depois de comer?

Essa resposta depende de três condicionantes: o alimento ingerido, o que você pretende fazer lá e a temperatura em que seu corpo se encontra.

Em entrevista para o site Drauzio Varella, a nutricionista Madalena Vallinoti, diretora do Sinesp (Sindicato de Nutricionistas) e  o fisiologista Turíbio Leite, coordenador do CEMAFE (Centro de Medicina da Atividade Física e do Esporte) da Universidade Federal de São Paulo, esclarecem que é a concentração do sangue que influencia a desregulagem do organismo nessas situações.

De acordo com eles, para absorver os nutrientes do alimento, o aparelho digestivo exige um determinado fluxo sanguíneo. Ao nadar, ou praticar qualquer outro exercício físico, parte desse fluxo é desviada para os músculos, que também precisam do sangue para executar suas funções.

O mesmo ocorre quando é necessário regular a temperatura do organismo. Se está calor e seu corpo está quente, por exemplo, o contato direto com a água gelada vai exigir a concentração imediata de sangue na pele, para poder amenizar esse choque térmico.

Nos dois casos, essas demandas simultâneas impedem que os órgãos recebam o suprimento sanguíneo adequado e isso pode causar cãibras, desconfortos gástricos, náuseas, desmaios e, nos casos mais graves, até morte por choque hipovolêmico (falência de órgãos devido a falta da quantidade mínima de sangue necessária para seu funcionamento).

Vale lembrar que tais reações também podem ocorrer fora da água. Porém, dentro da água, há ainda o risco de afogamento. É preciso tomar os devidos cuidados para que esse momento de lazer, tão prazeroso, não se transforme em uma situação preocupante.

Ou seja, antes de entrar na água, aguarde pelo menos 40 minutos após ingerir alimentos leves (como frutas, verduras e legumes), e no mínimo 3h após comer algo pesado (como feijoada ou churrasco). É o que recomenda o ortopedista e coordenador científico da Associação Paulista de Medicina, Ricardo Munir Nahas, em um artigo publicado pelo site UOL.

Do contrário, se você não pretende fazer movimentos intensos e a temperatura da água não está tão contrastante com a temperatura do seu corpo, não haverá problema algum. A piscina é, inclusive, um excelente instrumento para manutenção da saúde. Além de aliviar o estresse, ela colabora com o fortalecimento dos músculos e articulações e condiciona melhorias na respiração e no metabolismo. É ainda a opção de atividade mais indicada para combater a pressão alta. Então pode curtir sem medo. 

Venha relaxar na piscina com cascata da cobertura do Mondrian Suite Hotel e aproveite para desfrutar  da vista de um pôr do sol maravilhoso!

Fonte:
https://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2017/01/24/nadar-ou-tomar-banho-depois-de-comer-e-perigoso.htm
http://gnt.globo.com/bem-estar/materias/mitos-e-verdades-das-refeicoes.htm
https://drauziovarella.com.br/noticias/entrar-na-agua-depois-de-comer-realmente-faz-mal/
http://blog.paraisodasbombas.com.br/conheca-os-beneficios-da-piscina-para-a-saude/